Páginas

novembro 13, 2011

Jurema: uma galinha de sorte....

Estava eu saindo da UNIRIO num sábado desses, indo em direção ao RioSul pegar meu ônibus de volta, quando o que vejo no meio do quiosque de plantas na praça............ ?

Uma galinha..........!! Branca, sujinha tadinha, toda frajolinha passeando por entre as flores. Tipo: aqui é a minha casa.



Fiquei boquiaberta por um minuto... me refiz... e fui falar com o encarregado do quiosque... e perguntei:

* Esta galinha é de vocês?

* É sim. Ela foi usada em algum evento do teatro e depois ela apareceu por aqui muito doente. A gente adotou, cuidou e agora ela é mascote.. tá aqui há uns 6 meses.

* E ela dorme aonde? Não vão roubar ela não..?! Os mendigos por aqui podem pegá-la pra comer...

* Ela dorme aqui no alto da barraca. Ahhh, já avisei que se alguém pegar ela ou matar a gente dá uma coça!! Todo mundo sabe que ela é daqui e respeita.

* Tem nome?

* Tem sim. É Jurema... e ela bota ovo todos os dias. 

Enfim, não preciso dizer que fiquei ali conversando um bom tempo sobre a Jurema, encantada com aquela situação sui generis... Onde já se viu, em plena cidade do Rio de Janeiro, num quiosque de plantas no meio de uma praça, encontrar uma galinha sem rabo, adotada, passeando entre as flores?! Muito lindo gente! Me senti numa cidadezinha num interior deste Brasilzão... conversando sobre mato, planta, bicho.. a simplicidade.. outra dimensão do tempo.. a vida.

Então ele falou que muitas pessoas passam ali e reclamam:
'É mendigo.. é galinha.. daqui a pouco vai ter cavalo, vaca!'

Eu adoraria chegar ali e dar de cara com um cavalo branco lindo passeando, uma vaquinha com seu bezerrinho.... rsrs.... melhor do que os mendigos (humilhação, miséria, depressão, falta de dignidade humanas), assaltantes, bala perdida, e tudo de ruim que podemos encontrar na nossa sociedade civilizada.... 

Na semana seguinte estava eu devidamente armada com uma câmera fotográfica para guardar a Jurema (adorei este nome !) na minha memória... e lá estava ela no seu jardim florido.. 


e o Francisco (filho do jardineiro) ficou carregando a Jurema pra lá e pra cá, pra eu fotografar...

( confesso que eu queria ficar quietinha e deixar a galinha passeando tranquila, e esperar por uma foto bacana, espontânea, mas fazer o que se o menino queria ser gentil né?... na verdade ele foi um fôfo! e por isso mereceu uma foto ao lado da estrela...rsrrssrsr... Francisco, nome de santo protetor dos animais... )



São esses momentos especiais que fazem você ver que o mundo é muito mais do que sua vidinha, seus problemas, seus prazeres... é ter olhos de ver, ouvidos de ouvir e coração para sentir.

A cada segundo, são milhares de histórias acontecendo, umas belas outras tristes, mas sempre histórias de vida... a vida existe em cada canto, basta sentí-la!



Jurema... uma galinha de sorte!

setembro 25, 2011

BONDE de Santa Teresa: Crônica de uma morte anunciada...

Querido blogg.... 

era para ter escrito o que vou escrever há um tempo... mas como ainda vivo na síndrome do século 21, onde nos abarrotamos de afazeres, muitos desses provavelmente inúteis, mas impingidos socialmente, onde deixamos às vezes para amanhã o que nos dá prazer, ou o que nos exige elaboração e consequentemente gasto energético (pensar cansa né gente.....), só hoje tomei vergonha na cara para sentar e escrever...

Nascida e criada em Santa Teresa, cresci andando de bonde... só nunca fiquei nos estribos porque não sou tão aventureira assim.... mas adorava sentir o vento do verão ao som do sacolejo do querido bonde. 
Claro que com o passar dos anos, com essa vida louca cheia de horários, não podia mais contar com o bondinho, porque eram poucos... então passei a andar só de ônibus, que são insuportáveis! Motoristas loucos,  mal humorados, grossos, que andam a mil por hora nas curvas, sem pensar nos idosos, crianças, grávidas. Já comprei várias brigas com eles... mas isso é assim em vários segmentos da nossa sociedade, sem educação e gentileza, sem respeito, é cada um por si, no 'jeitinho brasileiro'.

 Às vezes ficava irritada quando o ônibus ficava atrás de um bonde (mas  nunca pensei em tirá-los de Santa). Hoje, sinto muita falta deles........

Desde que me conheço por gente é essa confusão com os bondes. Ele só não acabou porque é tombado. Sempre foi empurrado com a barriga.. inclusive muitos da população local, ignorantes, acham que ele devia acabar, que é um atraso. Reflexo de um povo sem memória cultural, sem tradição, que não valoriza suas raízes, que pensa que coisa antiga é coisa velha, inútil,  e tem que acabar (pensam assim das pessoas, se esquecendo que deveriam agradecer caso consigam chegar lá. No Japão o idoso é reverenciado... outra cultura.... olha como eles se reergueram pós bomba atômica.. assim como a Europa pós guerra.... e vejam quantos países por lá ainda tem os seus bondes, lindos!: Portugal, Suiça, Áustria, República Checa, Sérvia, até os EUA (São Francisco) tem!!.........


Lembro do meu pai, que pegou o bonde em todo o Rio de Janeiro, e que frequentava Santa Teresa junto com minha mãe desde os anos 50, falar que o bonde era tão pontual que eles acertavam o relógio por ele. Época em que o bonde era da Light (empresa Canadense... depois  passou pro Estado, e aí já sabemos o final da história né, infelizmente....)

Incrível que o nª de acidentes com o bonde nem se compara ao dos ônibus!  Fora que os acidentes, em menor nº, dos bondes, muitas vezes foram causados pelos motoristas insandecidos que insuportavelmente insistem em permanecer neste bairro tão peculiar.. Mas isso não aparece na mídia...  as empresas de ônibus tem muuuuuito poder.


No dia 27 de Agosto, sábado, dia de intenso movimento turístico, à tarde, acontece este último e terrível acidente com o bonde... não acreditei quando ouvi o repórter anunciar na TV : 'Bonde de Santa Teresa tomba e mata 5 pessoas , inclusive o motorneiro, e deixa mais de 50 feridos'. Fiquei boquiaberta....... não conseguia imaginar a cena... só podia ser brincadeira. 

Não era. 

Aí vem a questão: de quem foi a culpa? Ah, do motorneiro , o 'Seu' Nelson, claro........ que trabalhava aqui há 30 anos!!!!!! Conhecia o bonde e todas as suas dificuldades como a palma de sua mão..... me lembro dele, desde criança... do sorriso.... do bom-humor.... incrível como ele conseguiu manter o bonde , em plena descida, até onde chegou,  isso sim! 

Sem dúvida, ele foi um herói!! 
E deixo aqui um obrigado para ele, por fazer parte da história deste bairro tão querido...

Me emociono agora ao escrever .... talvez por estar ouvindo música clássica... e as lágrimas correm pelo rosto... mas provavelmente ao ver o sorriso dele aqui na foto e pensar em toda essa situação, como tantas outras de sofrimento, causadas pelo descaso político!!!!!


No dia 1º de Setembro seria aniversário do bondinho... em todos os anos seria motivo de festa, mas desta vez era luto. Luto pelas pessoas, luto pelo próprio bonde, luto pelo  bairro, pelo sistema político, pela segurança pública, pela saúde pública, pela educação pública, pelo TRANSPORTE PÚBLICO.........

Neste dia, 5 dias após o acidente, quando o ônibus passou no largo do Guimarães, 'point' de Santa Teresa, me deu um aperto no coração, um nó na garganta, e chorei baixinho.... o bairro estava mudo, PESADO. Aquele silêncio de  ausência, que só quem já perdeu alguém que ama sabe o que é. A dor da perda... aí vi que realmente o bonde é a alma de Santa Teresa. Que não existe esse bairro sem ele. Me lembrei do carnaval.... 


da alegria das pessoas fantasiadas em cima dele, também fantasiado, tocando seus instrumentos.... das crianças pulando nele.... do cachorro correndo atrás das rodas, pensando que vai realmente pegá-lo..

Não é um bonde, é o pai do bairro. É essa a sensação. Não, acho que é o bisavô, sabe... o velhinho, que viu todos aqui nascerem e morrerem... é a história. É uma pessoa da família.
  
Não ver o bondinho, não ouvir o seu motor, não ver as redes balançando, não ver a alegria das pessoas ao ver a beleza do bairro, ao passar pelos arcos, ao ver os casarios, em cima dele, como se estivessem num túnel do tempo, é como um dia cinzento, frio, chuvoso... é como comer e não sentir o gosto ds coisas.. é como não ter mais  o encantamento por aquela pessoa por quem que você foi loucamente apaixonado... Não tem porque.

O que falar do poder público diante dessa situação? Nada que já não tenha sido dito ao longo de anos, de décadas...... é um disco furado... um repeteco...... já sabemos, há muito tempo, que os políticos não estão nem aí com a população: basta ver a situação da saúde, da educação, da segurança, do trasporte, enfim, de toda a estrutura básica pública para o cidadão, que paga impostos altos em tudo que consome, viver dignamente. Mas, já que não pensam mesmo na população, no mínimo os dirigentes são burros, porque o bonde é um atrativo turístico gigante, que gera muita renda para o bairro...

Ainda bem que existe o nosso já famoso artista popular, Getúlio, que constrói os bondes com sucata.... só espero que o nosso bondinho não fique restrito às miniaturas....


E espero que ele não caia no esquecimento, fazendo a alegria da empresa de ônibus, e que não fique apenas nas lembranças dos dias lindos  ensolarados, coloridos, embalados ao som dos seus motores e badaladas, nas nossas retinas....

julho 23, 2011

Amy Winehouse: a história se repete mais uma vez.....

Pois é querido blog.... estava há mais de um mês sem escrever.... não me sentia mobilizada por nada... até hoje, após saber da morte da Amy Winehouse. 

Gostava muito de sua voz... do seu estilo... e mais ainda em saber que ela compunha, coisa rara entre as cantoras. Também ficava triste em ver sua decadência física, emocional, mental, (espiritual) e sabia, que mais cedo ou mais tarde, isso iria acontecer... mas confesso que achava que ela ainda iria produzir mais antes de ir embora....

 
 
Quando soube de sua morte fiquei bem emocionada... triste... porque prefiro ver pelo ângulo do ser humano, com suas fraquezas, fragilidades, medos, inseguranças, doenças. Porque ela era doente. 

Mas tenho mais pena ainda das pessoas  que dizem que e'la já vai tarde, que ótimo, que não sabe viver.... drogada... doida...' Feio isso. Quando a gente parar de julgar os outros o mundo será bem melhor. 

Devemos julgar o traficante, o político corrupto que prejudica as pessoas, o falso médico que mata alguém, um 'Sérgio Nayer', um psicopata, estuprador, pedófilo, os terroristas, os serial-killers, enfim, todos aqueles que prejudicam alguém, e mesmo assim eles tem lá o seu direito a um advogado.

Cada um que olhe pro próprio rabo. Atire a primeira pedra quem não tiver pecado...

É triste ver um talento se perder... é ver a história se repetir mais uma vez.
Janis Joplin, Jimmy Hendrix, Elis Regina, Cássia Eller, Jim Morrison, Billie Holiday e por aí vamos.... 

As drogas existem há anos.... as doenças da alma também. Tem gente que se vicia e morre por overdose de sexo, bebida, trabalho, comida, inércia, medo....... 

Tudo é fuga, insegurança, medo, ansiedade, competição, carência, fragilidade, neste mundo louco, sensasionalista, com tanta pressão, cobrança, superficialidade, efemeridade, falta de ética, desonestidade, hipocrisia............ afe!! É demais!!

Eu, com minha alma artística, tenho medos e inseguranças que me aprisionam..... Se tem alguém que não os tem, estes devem ser felizes. 

Mas eu sou muito centrada...... pelo menos tento ser..... acho que arrisco muito pouco... 

Mas tem aqueles que voam mais alto... uns conseguem se manter e aterrisar muito bem... outros, se perdem... se deixam prender pela máquina e sucumbem, como deve ter sido o caso da Amy... tão talentosa... com uma voz que parecia daquelas negras maravilhosas do soul e do).. compositora... densa.... frágil.. pequena diante da máquina do showbusiness.

       

 

 Volta Ao Luto

 Ele não deixou tempo pra se arrepender, Ficou na "meia bomba" com a mesma velha e segura aposta

Eu e minha cabeça embriagada, 
E minhas lágrimas secas, continuo sem meu cara
Você voltou para o que você já conhecia, Saindo totalmente de tudo pelo que nós passamos
E eu trilho um caminho tortuoso, 
Minhas chances estão empilhadas, eu vou voltar ao luto


Nós apenas dissemos adeus com palavras, Eu morri uma centena de vezes
Você volta pra ela, E Eu volto ao... Eu volto pra nós


Eu te amo tanto
Isso não é suficiente, você ama cheirar e eu amo dar um trago
E a vida é como um cano
E eu sou um minúsculo centavo rolando paredes adentro


Nós apenas dissemos adeus com palavras, Eu morri uma centena de vezes
Você volta pra ela, E eu volto ao ... Nós apenas dissemos adeus com palavras
Eu morri uma centena de vezes, Você volta pra ela
E eu volto ao Luto, luto, luto, luto, Luto, luto, luto...


Nós apenas dissemos adeus com palavras
Eu morri uma centena de vezes
Você volta pra ela
E eu volto ao
Nós apenas dissemos adeus com palavras
Eu morri uma centena de vezes
Você volta pra ela
E eu volto ao luto

      

junho 15, 2011

Santo Antônio chantageado..????

Eu deveria ter escrito este texto ontem, dia 13/06, dia de Santo Antônio, mas.......... não deu. 
Então, escrevo agora sobre este tema: o santo casamenteiro.... e seus fiéis.





Estava eu ontem num brechó (não posso ver um..rsrrsrs), quando comecei a conversar com uma senhora lá.... e o assunto se voltou para relacionamentos... casamentos... aí ela lembrou que era dia de Santo Antônio.. aí, me deu vontade de ir na igreja no Lgo da Carioca porque é festa, cheia de bandeirinhas, comidinhas típicas... 

Comentei com ela.. aí ela ficou tooooda animadinha, e percebi que ela era um 'pouco' beata... achei engraçado.... então ela me disse que eu (já que comentei que estou solteira) deveria ir lá e inclusive comprar, por uma bagatela de R$ 4,00, uma imagem do santo com um buraco no braço e o menino solto. "Hein????" Eu perguntei...  

É o seguinte: você faz o pedido e diz pro santo que quando for atendido você coloca o menino  de volta no buraco do braço dele... . Olhei para ela... pensei... comecei a rir e disse: 
"Nossa, isso é chantagem!! Que coisa feia chantagear o santo..."  E o merecimento de cada um, onde está??

Como estava indo na direção da igreja, decidi dar uma passada... ela, toooooooda animada, decidiu ir comigo também.... :( 

e fomos conversando.. só que ela estava indo para a outra igreja de Santo Antônio, a dos pobres, na rua dos Inválidos (inclusive é onde fui batizada)... e é aqui onde começa na verdade sobre o que quero falar. 

Era um comércio em volta.. medalhinhas.. rosários.. imagens..  Aí me lembrei daquela passagem de Jesus quebrando tudo, expulsando os comerciantes de dentro do templo...


E o povo ali, aglomerado... repetindo o que o padre falava... ou então na imagem do santo dentro da igreja fazendo os seus pedidos: para arrumar namorado(a), para casar, para ter filhos, sei lá mais para que... 

Ou então comprando alguma coisa no bazar (pão, imagens, medalhas, rosários, pingentes, blusas... ) enfim, um arsenal para conseguir realizar o  tal pedido. Inclusive a tal imagem do santo sem o menino para você o chantagear. 

Pois é.. a pessoa para conseguir o que tanto quer, além de esperar que alguém resolva tua vida, aqui no caso pedir uma intervenção divina, sequestra, subjuga, chantageia ou bota o santo de cabeça para baixo........! Como assim minha gente? 

Eu vi na tv uma mulher, já noiva, alugando os ouvidos do santo para MARCAR A DATA!!!!!

Gente, com certeza ele tem coisa mais importante para fazer neste mundo com tantos problemas, com tanto sofrimento. 

E a Igreja lucra muuuuito, em vários sentidos, com tudo isso. Já não basta todo o dinheiro que recebe de impostos e laudêmios (verdadeiras fortunas espalhadas pelo estado, pelo país).... 

Fora as pessoas que ficam no entorno ganhando um dinheirinho às custas dos medos, desejos, frustrações, sonhos, de outras pessoas, fracas, com baixa auto estima, que necessitam buscar fora de si as resoluções de seus problemas, às vezes pequenos, vamos combinar. Quando é por um motivo maior, como saúde, tudo bem, mas para marcar data de casamento??!!! É muita falta do que fazer.......

Me irrita ver às vezes a passividade das pessoas....(inclusive a minha). Esperando que as coisas caiam dos céus: ganhar na megasena (se viciando às vezes no jogo, enricando o estado e donos de lotéricas), chantagear o santo (dando dinheiro para igreja), uma bolsa família ( quanto mais filhos  puser no mundo, mais dinheiro se ganha), e por aí vai.. 

Isto não qer dizer que as pessoas não trabalhem. Trabalham muito, de uma forma robótica, mas às vezes, sem nenhum senso crítico ....

Não tenho religião... tenho problemas, desde criança, com hierarquias, imagens, rituais, relações de poder, controle sobre o outro, manipulação, vaidades...  fui batizada e fiz 1ª comunhão, mas nunca acreditei em nada daquilo. Via um monte de carneirinhos dizendo amém, sem pensar, questionar, investigar...... talvez por influência de meu pai que era filósofo, apesar de totalmente  espiritualista e cristão.

Apesar disso tudo, acho que para muitas pessoas a religião é muito necessária. 

Tenho minha espiritualidade sim... creio em algumas coisas, inclusive em Jesus.. tem São Francisco que gosto muito... de sua história... creio num código de conduta, respeito, gentileza, solidariedade, causa-efeito, amor.. mas qualquer coisa que leve para o fanatismo, ou falta de senso crítico, ou fazer algo porque te dizem para fazer... tô fora.

Deus, e todas as soluções, assim com os próprios problemas, estão dentro de mim... de nós. Meu corpo, minha mente e meu coração, são o meu templo... não tenho que buscar fora, em um padre, ou pastor, ou gurú, ou qualquer um que se ponha como o solucionador dos problemas.

"Um só"
( Pedro Santos)

Eu sou......
de uma porção que nem pó.......
......de uma porção de um só.......
Sempre pra lá e pra cá.....

Eu sou....
de um pedacinho de nada....
de um pedacinho de cada.......
dentro de tudo que há.

aquele que na palavra entender.......
no nome não se prender.......
pode ver bem quem eu sou.

Mas quem....
no pé da letra cair......
do nome não vai sair....
porque no nome não estou !


"SE EU QUISER FALAR COM DEUS "
(Gilberto Gil)



Se eu quiser falar com Deus, tenho que ficar a sós
Tenho que apagar a luz, tenho que calar a voz
Tenho que encontrar a paz, tenho que folgar os nós...
Dos sapatos, da gravata, dos desejos, dos receios
Tenho que esquecer a data, tenho que perder a conta
Tenho que ter mãos vazias, ter a alma e o corpo nus.


Se eu quiser falar com Deus, tenho que aceitar a dor
Tenho que comer o pão, que o diabo amassou
Tenho que virar um cão, tenho que lamber o chão..
Dos palácios, dos castelos suntuosos do meu sonho,
Tenho que me ver tristonho,tenho que me achar medonho
E apesar de um mal tamanho... alegrar meu coração.

Se eu quiser falar com Deus, tenho que me aventurar
Tenho que subir aos céus, sem cordas pra segurar
Tenho que dizer adeus, dar as costas, caminhar decidido, pela estrada que ao findar vai dar em nada
Nada, nada, nada, nada, nada, nada, nada, nada, nada, nada, nada, nada
Do que eu pensava encontrar..........




maio 29, 2011

Cavaquinho & Chorinho: novas paixões!

Hoje quero falar sobre este momento de encantamento que estou vivendo em minha vida.... o reencontro com a música, o namoro com o cavaquinho e o aprofundamento no choro.

Estudo música desde meus 5 anos de idade... sou filha de músico... desde meus 24 anos só namorei músicos (confesso que quero quebrar esta tradição, mas esta 'raça' me atrai, rsrrssrs) ... ouço muita música, de vários estilos (de concerto, jazz, samba, choro, árabe, flamenco, blues, soul...) mas, há um bom tempo, tenho preferido a  instrumental. 

Poderia ter sido uma super pianista... mas não fui. Não sou. Poderia ter sido também uma super violonista.. mas não fui e não sou.  Poderia ter  sido compositora.... mas advinhem?
Sou volúvel neste universo artístico... me deixo levar por várias paixões.. são tantas possibilidades encantadoras! Mas não pensem que não sofro. Sofro muito com isso!! Tudo que eu queria ser é uma especialista. Mas sou uma mulher renascentista..... 

Há 10 anos comecei a mudar meus rumos e caminhar na trilha do palhaço... um caminho muito forte que me arrebatou.. e, aos poucos, fui me afastando profissionalmente da música. Esta, começou a funcionar apenas como ferramenta de trabalho, para criar meus nºs de clown.. 
Ouvir ? Sempre.
E em 2008 comprei um cavaquinho para a Felyscia, minha palhaça. Um instrumento fácil de transportar.. leve.. delicado. Fiz uma aula para uma oficina de palhaço, me apaixonei..... mas não fui adiante.

Pois bem, decidi este ano voltar para os pequenos braços do cavaco... e confesso aqui, que em meio a uma crise existencial muito forte .. (tá... também confesso que estou sempe pensando 'quem sou? de onde vim? porque? pra onde vou?... quem me conhece sabe.... ai, um saco!!) 

Mas enfim, gosto de estudar... queria fazer um mestrado com palhaço, já não sei se quero mais... então pensei: estudo música. De novo. Ela sempre volta.... porque na verdade nunca se foi. É arraigada.. enraizada.. genética.. alma.

E num momento total de falta de encantamento na minha vida........ me apaixono!! Arrebatadoramente.. sem defesa.. e entro nesta história de corpo e alma, como há muito, mas muito tempo, não acontecia algo assim, em nenhum sentido.. achava que nada me traria este frisson.

Pois bem, estou estudando o cavaco no choro. 

(Cândido Portinari)

Sempre soube que o choro é um estilo para virtuoso. Sofisticado.. passei por ele no estudo de violão na UNIRIO... sempre ouvi.... sei que é em 3 partes... mas só semana passada me caiu a ficha!! 

Foi dado em aula, a música 'Naquele Tempo' de Pixinguinha (já gostava muito dela).. aí me lembrei que a tinha em casa em partitura. 

Cheguei, fui para o piano estudá-la.... fui tocando devagar... e ficando boquiaberta.... comecei a chorar (novidade né?!) de emoção. Cada uma das 3 partes é em um tom diferente, com melodia e ritmo próprios.... se ouvirmos em separado pensaremos que são 3 músicas diferentes.... se a ouvirmos juntas, elas conversam entre si.... é genial!! 

E assim é em quase todos os choros.. a construção melódica belíssima, coisa de música erudita.. de uma complexidade impressionante.. extrememente moderno!!! Não tem como esse estilo ser popular, digo de massa, ... por ser instrumental e tão sofisticado.

Existem alguns mestres, entre tantos mestres: Ernesto Nazareth (Brejeiro,  Odeon, Batuque, ) Pixinguinha (Rosa, Lamento, 1x0, Cochichando, Naquele Tempo, Carinhoso....), Jacob do Bandolim ( Noites Cariocas, Benzinho, Assanhado,Doce de Coco, Vibrações.............)

                                                     (Pixinguinha e os Oito Batutas)

 (Pixinguinha..........)
 
Tenho ouvido muito choro... prestando atenção nas partes.... tirando harmonia.. entendendo a linguagem.. e quanto mais ouço, mais entendo, e mais encantada fico... assim como me encanta também a redescoberta  deste estilo, pelos jovens, tido como música de velho ...

A cada dia surge uma roda de choro por esta cidade tão linda, nos levando, como numa máquina do tempo, por entre os casarões da velha cidade, para um passado, que se funde com o presente e se perpetua no futuro... o choro, um estilo tipicamente carioca.

Para gostar de alguma coisa, ou não, é preciso conhecê-la.
É preciso ter olhos de ver, ouvidos atentos e coração e mente abertos.....







maio 08, 2011

Um retirante no CCBB

Bem, eu deveria ter escrito este texto há exatamente 1 mês atrás... mas tanta coisa acontece, e o tempo voa... então só agora o faço... mas como diz o ditado: 'antes tarde do que nunca'...srrsr.
Vamos lá!

Neste dia em questão, havia ido com  uma amiga, que não via há muito tempo, ver um show no CCBB. Darei um nome falso para ela.. deixe-me pensar.... CORALINA!!

Bem, ao sairmos do CCBB, descendo os degraus da entrada magnânima na 1º de Março, demos de cara com um homem parado no cantinho, se protegendo da chuva (tava chuviscando).  Nos assustamos, íamos embora, quando ele começou a falar com a gente... ficamos por 1 segundo em dúvida, se parávamos ou não.... se era mais uma pessoa pedindo dinheiro.. mas nos olhamos e alguma coisa nos fez parar... 

Ele queria uma informação... começou a falar... falar muito e muuuito rápido... não entendíamos absolutamente nada... só entendi que ele era do interior da Bahia... um matuto, no melhor sentido da palavra. Um retirante.. uma pessoa simples, do interior ... com aquele sotaque fortíssimo, embolando literalmente as palavras ( eu devo ter feito muita careta tentando entender o que ele dizia) .. parecia um dialeto... e ele estava visivelmente nervoso, cansado, deseperado. Falando que queria voltar pra casa... que nunca mais voltaria pro RJ, que não precisava disso, que queria só plantar e criar as galinhas dele. 

Não estávamos entendendo nada, e já ficando nervosas.. e ele repetindo, repetindo, como um disco furado. Um desepero....Pedimos para ele falar devagar... e aí, entendemos a história:

Ele tinha um irmão que já morava no Rio de Janeiro... então ele combinou com ele de vir de mala, cuia e família, pro Rio, tentar a sorte. Só que veio, um tempo depois, sem confirmar... saiu da fazenda na frente (a família viria 2 dias depois com bagagem) enfrentou 2 dias de viagem, chegou na casa do irmão e................. este tinha ido para o Paraná!! Sem falar nada!! 

Ele ficou deseperado, voltou para rodoviária, sem dinheiro, e implorou ao motorista por um lugar em pé ou no bagageiro, para voltar para casa antes de sua família vir!! Olha que loucura!!!!!!! Claro que ninguém permitiu... você vale o que tem... se não tem dinheiro não tem nada. 
Morremos de dó.... mas, o que fazer?? 

Ele não tava pedindo dinheiro.... queria ir para alguma instituição que o ajudasse... já tinha ido na catedral, mas esta o ignorou dizendo que teria que ir para o abrigo.... nem pensar, disse ele.

Bem, o que fazer diante dessa situação?! Foi então que Coralina disse que iria até a Rodoviária com ele ver como ajudar. Fiquei parada olhando para ela... eu tava na rua desde 7 e meia da manhã, ou sejá há 12 horas... tava exausta... ela sabia disso, me 'mandou' voltar para casa e saiu correndo e entrou num ônibus com ele. Eu fiquei com cara de idiota na rua, me sentindo péssima por não ter ido com ela.. e preocupada pensando naquela história doida... liguei pra ela e pedi que me ligasse quando chegasse em casa.

Ela me ligou depois... tentou de tudo na empresa... e decidiu comprar a passagem... uns R$ 300,00 ... deu um jantar pra ele e um dinheiro suficiente para comer durante a viagem de volta. Ele ficou tão feliz!! Iria conseguir evitar a vinda da família... (espero que tenha dado tudo certo).Ele deu muita sorte! A estrela dele é muito boa...

Pois é..... agora vem as reflexões....fiquei muito mexida com tudo isso.

1) O que teria sido dele se não tivesse encontrado a Coralina? Estaria na rua. Numa cidade como Rio de Janeiro... e a família dele? Perdida também.... Isto já deve ter acontecido é muito neste Brasil tão grande, com tantos contrastes... aliás, deve estar acontecendo agora em algum lugar!

2) Se eu estivesse sozinha não teria parado... devo confessar, a contragosto, que sou dura, fria, medrosa, como muitos nesta cidade. Eu, palhaça, artista, cheia dos discursos, teria deixado ele lá.... à sua própria sorte. Não é fácil para mim admitir isso...

3) Admirei, e invejei a atitude de Coralina... corajosa, solidária, desapegada, amorosa...sou feliz por tê-la como amiga !

4) Porque somos, ou nos tornamos, frios, desconfiados, medrosos, amargos, distantes...? Claro que provavelmente você vai responder: 'porque tem muita gente mentirosa, mau caráter, que se aproveita de sua boa vontade, te manipula, para se dar bem..' mas será que não usamos isso como álibe para fechar os nossos olhos totalmente, não discernindo o joio do trigo? 

Estou falando por mim.... e talvez por muita gente....  mais uma vez, filosofando, refletindo.....

'...eu quase não falo, eu quase não sei de nada
sou como rês desgarrada, nessa multidão boiada caminhando a esmo...' 
(Lamento sertanejo, Gilberto Gil)

março 31, 2011

O melhor amigo do ser humano..

Adoro bichos.... e amo os cachorros (assim como as aves). Temos três: 2 pegos na rua e uma, Juli, minha paixão, pega num abrigo... 

Cachorro pra mim ou é dado por alguém ou é pego, adotado. Não compro cachorro (nem gato) com tantos abandonados por aí... como resistir a um olhar como este ao lado da Ju??
Compro briga na rua se ver alguém maltratando um bicho, ah compro mesmo!

Sempre tive cães... não consigo lembrar de minha pequena existência sem a memória deles. Já chorei muito com várias histórias, com suas 'idas', de várias maneiras.. já disse que não queria mais... mas não resisto! Não consigo viver sem eles... 

Só quem convive entende o que eu digo...  só quem tem olhos de ver. 

Eles nos amam incondicionalmente... estão sempre alegres e dispostos... se eu sair 10 vezes, 10 vezes me recebem como se não me vissem há anos!! (às vezes irrita né, tanto amor....rsrsr ) mas se soubéssemos aprender com eles.... a manifestar nosso afeto, sem medo... a valorizar os que queremos bem... a sermos felizes com pequenas coisas...

Tive um dia ruim ontem... uma crise de nervos... chorei... fui dormir com uma tristeza no peito. Aí hoje de manhã, tristinha ainda, me arrumei com a TV ligada (raramente faço isso de manhã cedo)... mas eu tinha que ver, sem saber,  uma coisa que me emocionou muito:

A história de um morador de rua, Renato,  e seu cão, o Neguinho. 

Renato foi levado para um abrigo, mas o seu cão não pôde ir com ele (óbvio né).. então ele o deixou amarrado na grade numa praça em Ipanema. Ao voltar no mesmo dia para pegar o cão... cadê Neguinho?! Sumiu....

Ele ficou arrasado e  a população local, emocionada , se mobilizou, colando cartazes, juntando uma grana, até chegar  a R$1.000,00 como recompensa. Ao ver os cartazes, um casal o devolveu (recusando a recompensa) dizendo que ele estava sendo maltratado por meninos de rua, que o estavam queimando com pontas de cigarro.

( interessante... enquanto um constrói um afeto, outros escolhem o caminho da dor... da destruição.... da maldade)

E quando Renato reencontra o Neguinho, é só festa, de ambos os lados.... então ele disse : " ele é meu único amigo... é tudo pra mim " (não sei se foram estas palavras, mas algo do gênero)

Gente... me emocionei tanto!! Chorei......... ( já tava fragilizada).. mas senti uma felicidade tão grande por eles... por saber que tem gente boa neste planeta tão necessitado de boas ações!

E o mais doido é o seguinte:  umas 2 horas depois, estava no ônibus, em Laranjeiras, quando olho na calçada e quem vejo?! o Renato e o Neguinho!!!!!!! Todos serelepes.......

Isto me lembra uma outra história de morador de rua e cachorro:

estava eu andando no centro há 1 mês atrás, antes do carnaval, quando vejo um morador de rua, com um cachorrinho, filhote, branco no colo... passei, e de rabo de olho, (não gosto de ver cenas com bichos... fico muito mexida) vi que ele tava dando boca abaixo, catchup !! Meu coração apertou... ficou miudinho.... o cara não tinha comida, mas tava tentando dar algum alimento pro cachorrinho... era o que ele tinha! Um cuidado que ele tinha pelo cão.... talvez sua única troca de afeto.... 

Quantas vezes eu já vi mendigos andando com vários cães... carrinhos de mercado cheio de cachorros, todos felizes....fico muito comovida com essas cenas..

 Como dizia Machado de Assis

" Há várias formas de se amar... o modo pouco importa, o essencial é amar."

"Os cães são o nosso elo com o paraíso. Eles não conhecem a maldade, a inveja ou o descontentamento. Sentar-se com um cão ao pé de uma colina numa linda tarde, é voltar ao Éden onde ficar sem fazer nada não era tédio, era paz." (Milan Kundera)

"A compaixão pelos animais está intimamente ligada a bondade de caráter, e pode ser seguramente afirmado que quem é cruel com os animais não pode ser um bom homem." (Arthur Schopenhauer)

"Enquanto o homem continuar a ser destruidor impiedoso dos seres animados dos planos inferiores, não conhecerá a saúde nem a paz. Enquanto os homens massacrarem os animais, eles se matarão uns aos outros. Aquele que semeia a morte e o sofrimento não pode colher a alegria e o amor." (Pitágoras)

"A compaixão para com os animais é das mais nobres virtudes da natureza humana." (Charles Darwin)

"Não se deve atropelar um cachorro, Nem qualquer outro animal
Todo mundo tem direito à vida, Todo mundo tem direito igual"  
( 'Rua da Passagem' de Lenine)

março 13, 2011

CARNAVAL : Alegria ou Euforia?

'Tô me guardando pra quando o carnaval chegar.....' (Chico Buarque)

Acho que este deve ser o lema de muita gente nas festas de carnaval.

Não sou carnavalesca mas adoro samba... afinal sou filha de percussionista né! Adoro tocar um tamborim numa roda..

Também acho lindo o desfile das escolas de samba.... é um espetáculo teatral. Uma ópera popular!

Me pergunto sempre como deve ser o processo de elaboração e construção.. a adaptação do enredo. Enfim, como artista, acho incrível toda a criatividade envolvida nesta atividade. E confesso que tenho um xodó especial pela Mangueira, berço de Cartola e Nelson Cavaquinho, 2 grandes compositores que eu amo.


Tenho, inclusive, como ítem na minha lista de projetos pessoais, sair numa bateria de escola de samba. (tô criando coragem para ir aos ensaios......  rsrrs)

Também acho muito legal a volta do carnaval de rua.. para toda a família.. idosos, jovens, crianças, cachorros... rsrsr. A brincadeira no ar.


 Me lembro bem da época em que carnaval era sinônimo só de Sapucaí ou dos bailes em clubes onde só rolava a sacanagem  , então as pessoas saíam do Rio de Janeiro (confesso que adorava ir à praia que sempre tava vaziiiia). Também ia muito ao cinema porque rolavam altas promoções... era uma overdose de filmes (isto não existe mais..)

Hoje, o mundo todo vem para o Rio...




Então chego ao outro lado da moeda... onde quero 'filosofar'....rsrrs

Como boa libriana, não gosto de exageros, de polos.
E tenho a impressão de que estamos vivenciando um certo exagero agora.... me perdoem os apaixonados pelo carnaval de rua.

Como palhaça (é, sou palhaça profissional, apesar de estar em crise neste momento..), adoro a alegria espontânea.... mas, até que ponto a alegria pode se transformar em histeria?

Morar na Lapa, e ver, o antes, durante e o pós carnaval, é, no mínimo, curioso. Faz-nos pensar (para quem gosta), e eu, infelizmente, tenho uma mente que não pára.... digo infelizmente, porque cansa.. às vezes não nos leva para lugar nenhum... às vezes nos entristece.. mas o barato, é observar e refletir.

E saindo de casa cedo, confesso, que sempre me assustava. Com a quantidade de lixo inacreditável.. com a quantidade de  pessoas bêbadas e jogadas nas calçadas... meninas.. meninos.. sujos.. muitos, provavelmente nem curtem samba de verdade... e percebia um olhar tão vazio nos semblantes... sentia uma solidão .. pareciam zumbis. Não via a alegria... E assim foi em todos os dias... muuuuuitos blocos.... muuuuito barulho...... muuuuita bebida...... muuuuuuita gente... EUFORIA. 

E o que me pergunto é até que ponto as pessoas querem se divertir... ou só fugir. Porque há diferença. Claro que tem muita gente que vai para um bloco para dançar, para tocar, curtir um samba ou marchinha, encontrar os amigos, relaxar, paquerar... mas tem também pessoas que não conseguem relaxar no seu cotidiano... que só conseguem sorrir às custas da bebida... que só conseguem se aproximar do outro sexo (ou do mesmo) neste período... onde tudo é permitido, onde se experimenta o sabor da liberdade.... onde ninguém é de ninguém... onde basta olhar para rolar algo mais. 

Acho que em vez de botar máscaras de carnaval, muita gente tira as suas... e muito provavelmente talvez nem se reconheçam. 

Cansei de ouvir pelas ruas frases como:
-'ah, hoje vou pegar não sei quantas!!'
-'nossa, fiquei com fulano e beltrano... não lembro de nada....'
-' eu não quero saber de nada, quero é beber muuuito!"

E depois?

Ouso até dizer que a música, o samba, a fantasia, são apenas panos de fundo.. um meio, e não o fim.. 

Para abrir as jaulas de nossas feras, reprimidas ao longo dos anos, da vida. 

Aliás, me desculpem, me retiro deste grupo, não que não tenha as minhas feras, tenho, e são muitas, mas porque as solto através da minha palhaça... graças a Deus! Cada um faz o que pode....haaaha pior é quem não as solta.. ou as solta feito uma manada desenfreada.

Bem, continuarei refletindo sobre o tema...

'E um dia, afinal, tinham direito a uma alegria fugaz, uma ofegante epidemia, que se chamava carnaval....'
(Chico Buarque)

fevereiro 13, 2011

Salve Chico Rei...


Adoro Chico Buarque.... como todas as mulheres que o conhecem e que tem um mínimo de sensibilidade né... (coitadas daquelas que não sabem da sua existência... eita vidinha pobre, cinza...)

Essa foto aqui em p&b é de matar né não... putz!!! 
Lindo de morrer..........

Pois bem...mesmo sendo apaixonada, há muito tempo não ouvia suas músicas.... ultimamente tenho ouvido mais música instrumental.. choro, jazz, clássica. Mas semana passada foi, digamos, a redescoberta... recordar é viver.

Estava numa peça de teatro de amigas minhas.. numa troca de cenário há um jogo com a platéia.. são várias capas de LPs com texto no verso.. a 1ª foi o Michael Jackson, se não me engano.. quando virava estava escrito palmas, logo, a platéia aplaudia. A próxima foi uma do Chico... pensei com meus botões ' ah, é para bater palmas sem pedir né?'.... e antes que ela virasse a placa comecei a bater palmas. 
Detalhe: só eu. Não preciso dizer que todos, inclusive eu, estavam rindo.... ah essa vida de palhaça...

No dia seguinte, chego na minha mãe e ela tá com o rádio ligado... daqui a pouco toca 'Construção' do Chico ( a minha preferida, se isso é possível né... escolher uma..). 

Aumentei o volume... chorei (como quase sempre com as músicas do Chico).. e corri para botar os meus cds dele .... ouvi, cantei, dancei, toquei e chorei... muito.... de me acabar... de tremer o corpo.. de ficar com os olhos inchados. 

Lavei a alma... matei a saudade (que não sabia ser tanta) e entendi porque gosto tanto, mas tanto , de suas músicas, apesar de sofrer.... rsrs. 

Claro que sempre soube que ele é um grande poeta, letrista, melodista.... mas neste dia saquei que quando ouço uma música dele, é como se eu estivesse vendo um filme. É cinematográfico! E eu que adoro cinema..... 

Ele conta uma história... mostra os personagens.. e te dá a trilha para você imaginar toda a cena e ver as cores, sentir os cheiros... é incrível.

Ouça com atenção: 
'Construção
'Meu Guri'
'A Valsinha'
'Gente Humilde'
'Minha História'
'Beatriz' (esta acaba comigo, me sinto a própria), 
'O Circo Místico' (esta me despedaça... me identifico, ainda mais neste momento da minha vida), 
'Cotidiano
' Geni e o Zepelin '
'Todo o Sentimento', ,
'Eu te Amo'
 e por aí vai... são muitas, muitas.... 



E como ele brinca com as palavras... com a propriedade que só um criador tem.

É um rei. Das palavras.. das imagens.. dos sentimentos.. 

E eu, uma súdita, o reverencio .....

Te amo! 

Obrigada por todas as músicas e canções lindas que povoam nosso imaginário, que nos fazem pensar, refletir e nos emocionam!
Salve Chico Rei!!

'Não
Não sei se é um truque banal, se um invisível cordão
Sustenta a vida real, cordas de uma orquestra
Sombras de um artista, palcos de um planeta
E as dançarinas no grande final
Chove tanta flor, que, sem refletir
Um ardoroso espectador vira colibri ...'
(O Circo Místico)


 

janeiro 26, 2011

Moradores da Mata Atlântica em Santa Teresa.......

Santa Teresa... pedacinho do céu, cercada pela Mata Atlântica em pleno centro da cidade do Rio de Janeiro. Sou suspeita pra falar, porque nasci lá (não literalmente né! )... passei minha infância, adolescência, juventude (vamos parar por aqui..rsrrsr).

Um bairro peculiar com características particulares: o bonde.. a arquitetura antiga.. o clima ameno.. com muitos artistas (como meu pai e eu), intelectuais, hippies (ainda existem?) ... pessoas que gostam de silêncio, natureza, e o tempo que tem outra dimensão.

Mas não pensem que não há problemas: são muitos. Acesso difícil.. táxi reclama.. se você passar mal de madrugada tá ferrado... a única padaria fechou.. deslizamentos.. ônibus? poucos e cheios.. e tudo caro, agora então que tá cheia de turistas, já viram né.....

Mas a minha postagem de hoje é sobre a Santa Teresa pedaço da Mata Atlântica.

Eu adoro bichos.. por isso fiz biologia.. e Deus me abençoou me botando para morar neste bairro tão querido, apesar de eu ter saído de lá. 

     


  Acordava com o canto dos tucanos........

 


os micos vinham direto em casa.. inclusive uma vez, após uma tempestade, apareceu um miquinho doente.. a gente tratou dele até um dia que a gente pegou ele jogando 5 x 1.. ah........ deu uma peninha e aí soltamos ele!!







Uma vez caminhando, quase chegando no Silvestre, vi macaco prego... chorei de emoção (é.... eu choro com facilidade).. depois passaram a vir em casa também, atrás de comida....




Fora as aves que são minha paixão! Sabiás, saíras 7 cores, sanhaço, saíras azuis, gaturamo, sanhaço verde e o Jacú, no meio da foto... todos esses dando o ar da graça na nossa área...

A gente botando frutas e eles nos retribuindo com  momentos de tanta beleza que nunca sairão de minhas lembranças... sou capaz de ficar horas observando-as.... invejando-as...

E o melhor é ainda me surpreender, após tantos anos, com animais 'inéditos'..

 



Uma noite dessas estava  numa ladeira quando ouvi uns barulhinhos estranhos... fiquei quieta e saquei que era algum bicho.... na verdade era um 'diálogo'..... aí olhei para o telhado de um prédio e vi 2 bichos caminhando... corcundas... grandes... e desconfiei se tratar de ouriços (porco espinho)..... depois no computador busquei no google e bimba!! 


Eram ouriços!!! Um casal, com certeza.... e a voz deles é muito fôfa......



E para finalizar, estava passeando num domingo ensolarado desses na parte alta... junto da floresta... quando ouço um 'bate-boca' junto das jaqueiras.... pensei que eram macacos-prego.... fiquei quieta observando e u-la-lá!! QUATÍS!!!!!!!!! Muitos..... uma família italiana pelo jeito, porque resmungavam muito, e alto.... tavam disputando comida a tapa! 


Que vontade de pegar....... eu ADORO quatís!!! Com aquele rabão em pé.... serelepes, curiosos!! 
Ai que felicidade....

Mas só quem tem olhos de contemplação... de respeito e amor pela natureza.... de um outro tempo .... é que pode ser abençoado com essas revelações...... obrigada Deus!

"Voa bicudo, voa sanhaço ,vai juriti ...
bico calado, muito cuidado,que o homem vem aí ..." 
(Chico Buarque)

janeiro 13, 2011

Tudo acontece na Lapa....

Estava eu um dia desses no ponto de ônibus na Gomes Freire, Lapa, às 3 da tarde. Numa rua imunda, no vai e vem de uma biodiversidade riquíssima: é maluco de tudo quanto é tipo, é bêbado, é camelô que você não pode nem andar nas calçadas (pelo menos esses estão trabalhando né!), é gente feia, é gente bonita, é gente feliz, é gente triste, enfim, uma babel, como é a Lapa. 

Aí, escuto uma voz de mulher falando alto, muito alto.. isto também é comum por aquelas bandas.. mas confesso que não muito aquela hora.. e vinha lá da ponta da calçada.. tentei ver, discretamente, o que era (o ser humano é bicho curioso né!), mas não vi nada. E nada do ônibus chegar... aí ouço de novo a voz da mulher, e dessa vez ela passou por mim falando no celular: devia medir 1,60, morena, com um short curtíssimo, gordinha,de cabelos longos.. não era bonita, mas também não era feia... nordestina (como ela falava muito alto, muito rápido eu não entendi muita coisa não)
Veja bem o papo da criatura, o que eu eu consegui entender....:

" Pois é!! Eu fiz um 'pograma' com ele e agora tá querendo me levar pra delegacia.... quer o dinheiro de volta .... senão vai dizer que eu levei as 'criança ' pro apartamento de fulano pra transar...!! "

E passou toda faceira, como se estivesse falando que vai no mercado comprar açúcar!! 

Gente, eu não acreditava no que ouvia.... todos na rua ficaram se entreolhando... rindo, de tão surreal, a situação. Mas vocês pensam que isto é o pior? Não é nããããao!! Porque eis que depois, eu, e todos na rua inteira, ficaram sabendo de quem se tratava o interlocutor (porque eu achava que deveria ser o cafetão, ou uma 'colega' de trabalho)... era a MÃE dela!! A mãe........

E depois eu vi que o suposto cliente tava na frente dela.... feio de doer, coitado.... e ela foi se alterando, gritando cada vez mais alto (que pulmões os dela!) e ele muito calmo....

"É mãe! Eu fiz um programa com ele e ele quer o dinheiro.... eu tenho!! São R$ 70,00. Vou devolver senão vai ficar me enchendo o saco dizendo na polícia que eu levei as crianças pra fazer programa também!!"

Pois é minha gente.... a que ponto chegamos na banalização de tudo. É o reflexo dos tempos BBB... tudo às claras.. não existe mistério..  nem pudor.. nem segredos.. nem intimidade.. nem privacidade.. nem ética..  
Ás 3 da tarde de um dia de semana normal, com crianças indo e vindo.......

Tempos modernos............. 
Eu, sou antiga.

janeiro 03, 2011

ESTILO ANA MARIA DE VIVER...

Ás vésperas do Natal ano passado (nossa, há 3 dias era ano passado...rsrrsrsr), eu, como muitos malucos, cometi a insensatez, porque é isso na verdade, de ir no SUPERMERCADO!! 

Mas tudo bem... fui preparada psicologicamente, tava bem calminha... aliás, até demais... e o resto desesperado, se atropelando, comprando carrinhos e mais carrinhos entupidos de comida, carne, muita carne ( se esquecem do significado da palavra NATAL :nascimento, em geral, e que neste dia é o que mais se tira vidas no planeta... mas esse é outro papo), cerveja... um frenesi... e lá estava eu refletindo sobre isso, entre outras coisas, porque vivo refletindo sobre algo, é um saco!....com meu carrinho quase vazio  (até porque não compro carne nem cerveja), quando comecei a puxar papo com a senhora que estava na minha frente... ou foi ela que puxou papo comigo? Não me lembro... ela tinha um panetone na mão e mais alguma coisa... 

Bem, o que importa é que começamos a conversar.. nada melhor do que isso para se esquecer que se está numa fila de mercado... eu preferiria estar conversando com algum homem interessante, mas era uma senhora.. simples, de boné, bermuda, óculos, baixinha, e com sotaque de nordestina (adoro!) Eu gosto muito de escutar histórias... e, simplesmente, ela é incrível! Vou contar como começou a 'viagem'...

EU: Perguntei o seu nome e de onde ela era, por causa do sotaque...
ELA:' Ana Maria. Sou do Amazonas' .......
EU:'Mas você tem um sotaque nordestino....'
ELA: 'Ah, morei 10 anos em Pernambuco'
EU: 'Veio passear no Rio?'
ELA: 'Não. Vim morar, por um tempo. Aluguei um apto de temporada'
EU:  'Ah! E tá gostando?'
ELA: 'Adorando! Queria ir para Santa Catarina, mas tive medo por causa das chuvas..'
EU: 'Mas aqui também tem problemas..... enchentes... desabamentos....'
ELA: 'Eu sei. Mas pesquisei, e onde eu moro é alto, não alaga.'
Pensei, que esperta....

Vou resumir senão fica cansativo. 

Ela já tinha vindo morar aqui tipo um mês, em Copacabana, para pesquisar onde viria em definitivo. Definitivo é  1 ano e meio, no máximo, em aluguel temporada! 

Não casou... não tem paciência para os trabalhos do lar....

Desde que se aposentou, vendeu, e DEU todos os seus pertences, eu disse TODOS! Mobília, roupas, objetos pessoais, e decidiu morar por temporada pelo Brasil afora.... fiquei de boca aberta. Eu ia arregalando meus olhos e pensando: 'Gente, eu quero isso um dia! Ela é minha ídola!!' (ou então casar com um homem que queira ter um trailler e sair por aí).

Afirmei que ela não deveria ter bicho de estimação (este é um problema para mim.... viver sem um gato ou cachorro)... sabe o que ela respondeu?!
'Tenho meu cachorrinho aqui comigo, na bolsa....' Falou baixinho para ninguém ouvir, afinal ela estava num supermercado!

Caramba, não acreditei no que ouvia! pensei: 'gente, ela tá me enrolando não é possível!'

Não estava. Estava sim com o Sebastian, um yorkshire de 16 aninhos, todo grisalho, quase ceguinho, na bolsa... uma bolsa feita para ele, com vários buraquinhos bordados... e ele com o focinho lá, respirando, uma graça!

Fiquei mais boqueaberta ainda, e sensibilizada...... ele vai para T-O-D-O-S os lugares com ela.

E ela falando dos vááários prêmios dele! De bailes de carnaval... E ela carrega com ela nas viagens esses prêmios, porque como ela disse:

'São as jóias dele!'

E eu disse:
'E ele é a sua jóia né?'

Então ela carrega uma mala dela, mais o Sebastian, e mais as coisinhas dele.

No final, perguntei se ela tinha telefone ou email. Não tem, óbvio. Celular? Mais uma coisa para carregar, mais uma responsabilidade? Não, eu quero é liberdade...

Nos abraçamos muito... fiquei realmente emocionada com aquele encontro, pensando que desapego o dela! E tão interessante a relação dela com o cachorro.. por mais que estejamos 'livres', leves e soltos' precisamos de companhia, de afeto...

Pensei como eu adoraria passar por isso, cair no mundo, viver em vários locais... já pensei isso váááárias vezes.... quando minha mãe se for, não sei não...... quem sabe? Mas aí fiquei pensando que seria difícil para mim, viver sem minhas músicas.... sério, foi a 1ª coisa que pensei... depois nas roupas... bijuterias...hahahah

Como a gente acumula coisas ao longo da vida... são tantos objetos, papéis, coisinhas....

Por isso ADOREI ter conhecido a Ana Maria, e sempre me lembrarei dela...

Nômade, corajosa, desapegada, aventureira, alegre, curiosa, amorosa, leve.......

'Deixe-me ir, preciso andar.... vou por aí a procurar, rir pra não chorar'  (Candeia)

Boa sorte Ana Maria!